Webmail

Curso Vigilância em Saúde do Bancário será destaque no Diálogos para Ação
09/11/2010

Fetrafi-RS e SindBancários promovem na próxima semana mais um módulo do projeto Diálogos para Ação. A programação inicia às 9h da manhã do dia 19, sexta-feira, na Casa dos Bancários, sede do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, e é aberta para dirigentes e delegados sindicais da Caixa, Banco do Brasil e Banrisul.

O tema deste módulo será o Curso de Vigilância em Saúde do Bancário. O curso é uma iniciativa do SindBancários, Fetrafi-RS e o Centro de Documentação e Pesquisa em Saúde e Trabalho(CEDP), da Faculdade Federal de Medicina do RS. Aplicado no modo EAD com carga horária de 140h, o curso destina-se a bancários, delegados sindicais, cipeiros e interessados na temática. 

O diretor de Saúde da Fetrafi-RS, Amaro Souza, salienta que o curso será mais um elemento importante na luta contra os fatores que levam os bancários ao adoecimento. "Estamos agindo em diversas frentes para neutralizar os fatores de risco de doenças físicas e psíquicas. Infelizmente o ambiente de trabalho proporcionado pelo setor financeiro é um dos mais nocivos. Para enfrentar e mudar esta situação precisamos contar com pessoas preparadas para exercer o papel de vigilância em saúde", afirma o dirigente.

Fatores que levam ao adoecimento

As drásticas mudanças tecnológicas, somadas à ganância capitalista pela acumulação de riquezas, têm levado a classe trabalhadora a inúmeros desgastes psicológicos e físicos, tais como as doenças ocupacionais. 

As lesões ósseas e musculares, acompanhadas de irritabilidade, insônia, ansiedade e depressão, são os problemas de saúde de maior incidência entre as atividades do ramo financeiro. Já está largamente comprovado que o adoecimento da categoria bancária é diretamente relacionado à sobrecarga e à repetição sem descanso das rotinas diárias, ao lado da pressão psicológica pelo cumprimento de metas que permeia o cotidiano desses trabalhadores. Os regimes de horários impostos, a intensidade das tarefas e as cobranças de desempenhos contribuem dramaticamente para o adoecimento dos trabalhadores bancários. 

Em 2008, foram registrados 747,7 mil acidentes do trabalho. Na distribuição por setor de atividade econômica, o setor de indústrias respondeu por 46,1% do total de acidentes do trabalho, o setor agrícola com 3,9% e o setor de serviços com 50%. No setor de serviços estão incluídos os bancários. Ainda, de acordo com a informação da Previdência Social, os subsetores “atividades financeiras e de seguros” responderam por 12,8% do total das doenças relacionadas com o trabalho. 

Pelas estatísticas do INSS, o setor financeiro, além de gerar lucros bilionários, também “produz” milhares de trabalhadores acidentados e adoecidos por conta do trabalho.


Fonte: Imprensa Fetrafi-RS - 08/11/2010