Webmail

Entrevista: ‘Se houvesse debate no país, não sobraria argumento a favor dessa Reforma da Previdência
26/05/2017

O jornalista Gabriel Brito, do sítio www.correiocidadania.com.br, entrevistou o economista Eduardo Fagnani sobre a proposta de Reforma da Previdência.  A seguir reproduzimos a introdução à entrevista, escrita pelo jornalista:

“O Brasil viu mas­sivas ma­ni­fes­ta­ções contra a Re­forma da Pre­vi­dência, o que, no en­tanto, está longe de ser su­fi­ci­ente para conter a sanha aus­te­ri­tária do go­verno Temer e o Con­gresso, que logo apro­varam a ter­cei­ri­zação ampla, geral e ir­res­trita. Ainda assim, é evi­dente que a Se­gu­ri­dade So­cial e seu fi­nan­ci­a­mento con­ti­nuam no alvo. E foi sobre a Pre­vi­dência e todos os de­bates ao seu redor que en­tre­vis­tamos Edu­ardo Fag­nani, eco­no­mista que ajudou a pro­duzir o ro­busto do­cu­mento da Pla­ta­forma Po­lí­tica e So­cial sobre o tema.

Para além do su­pe­rada ale­gação de dé­ficit da Pre­vi­dência, Fag­nani se exas­pera com todo o edi­fício de de­so­nes­ti­dade in­te­lec­tual e in­for­ma­tiva cons­truído em torno do as­sunto. “Tantos países en­fren­taram o pro­blema do en­ve­lhe­ci­mento e não des­truíram o sis­tema de pro­teção so­cial! Não somos ca­pazes de en­frentar um pro­blema que virá daqui 40 anos, coisa que di­versos países con­se­guiram? Pra que serve o Mi­nis­tério do Pla­ne­ja­mento?”, in­digna-se. 

Na con­versa, Fag­nani mos­trou en­fado e can­saço com o tema, mesmo porque tem cir­cu­lado em todos os am­bi­entes pos­sí­veis para mos­trar uma versão mais acu­rada sobre os pos­sí­veis pro­blemas e so­lu­ções para a questão. Antes de tudo, afirma que está em jogo muito mais uma mu­dança de pa­ra­digma de so­ci­e­dade do que uma dis­cussão ba­seada em con­ceitos, nú­meros e pro­je­ções. 

“Temos que fazer como a Eu­ropa – vejam bem, não é Cuba -, isto é, tran­sitar da base da in­ci­dência de im­postos sobre a massa sa­la­rial para a ta­xação da ri­queza sobre di­versas formas, ou seja, lu­cros, pa­trimônio, di­vi­dendos. De­vemos in­cidir na apro­pri­ação dos ga­nhos de pro­du­ti­vi­dade, isto é, na­quilo onde antes havia 50 fun­ci­o­ná­rios e hoje há só dois. Quem se apro­priou dessa di­fe­rença tem que pagar. Vão fazer uma re­forma pra trans­formar o Brasil numa massa enorme de pes­soas idosas men­di­gando na rua com base em men­tiras fi­nan­ceiras, tanto atuais como para daqui 50 anos. Uma re­forma de tal tipo tem que se pautar em am­plos de­bates com a so­ci­e­dade, não em men­tiras gro­tescas. É ina­cre­di­tável o que acon­tece no país”, la­mentou.”

A íntegra da entevista de Eduardo Fagnani pode ser lida acessando o link

http://www.correiocidadania.com.br/72-artigos/imagens-rolantes/12437-se-houvesse-debate-no-pais-nao-sobraria-argumento-a-favor-dessa-reforma-da-previdencia.