Webmail

REFORMA AGRÁRIA - A reação truculenta do governo Yeda Crusius contra os trabalhadores do MST
31/01/2008

O episódio ocorrido no assentamento Nova Sarandi no dia 17 de janeiro mostrou toda a truculência do Governo Yeda para com os trabalhadores do MST.

Para fazer cumprir uma ordem judicial, a Secretaria de (In)Segurança do Governo Yeda Crusius deslocou para a região cerca de 700 policiais militares e civis. Alguns estipulam esse número em mil policiais. 

Já as famílias de assentados, que deram abrigo a 1.500 sem-terra que participavam de seu 24º Encontro Estadual, se recusaram a abrir suas casas à revista.   Os comandos da PM e da Polícia Civil divergiam quanto à necessidade de cumprir a ação daquela forma. Com a possibilidade de um confronto, a tensão era grande.

Depois de muita tensão, policiais e trabalhadores chegaram a um acordo

O acordo evitou uma possível batalha campal entre policiais e trabalhadores. O Secretário de Segurança exigia a entrada da polícia no assentamento

A explosão de um confronto, uma batalha campal, entre sem-terra, assentados e policiais era iminente. O fato já estava sendo noticiado pela imprensa internacional como uma possível tragédia. Até mesmo a ONU chegou a solicitar a suspensão da ação policial. 

Por seu turno, o Secretário de Segurança, José Mallmann, descumpria o acordo inicial que havia sido firmado entre MST, Polícia Civil, Ouvidoria da Segurança Pública e 2ª Vara Cível da Justiça de Carazinho. O acordo previa a saída dos ônibus do assentamento para a vistoria, sem a necessidade da entrada da polícia. Mallmann exigia que os policiais entrassem no assentamento. 

O confronto foi evitado quando a negociação evoluiu para um novo acordo: os sem-terra liberaram a vistoria dos ônibus e os policiais desistiram de revistar as residências. O resultado: a revista feita nos ônibus nada encontrou. 

Na avaliação do MST, o Governo do Estado acabou desistindo da invasão policial ao assentamento devido à pressão da sociedade, entidades de direitos humanos, parlamentares, prefeitos e religiosos. 

Acessando os endereços http://diariogauche.blogspot.com/ e http://rsurgente.zip.netvocê terá mais detalhes do episódio. Através das fotos pode-se ter uma idéia da insanidade com que os membros do atual governo do Estado conduziram a questão.