Webmail

Votação sobre subsidiárias do Banrisul é adiada outra vez
28/11/2013

Movimento sindical continua atento na Assembleia Legislativa do RS

Pela segunda semana consecutiva, a votação dos dois Projetos de Lei (PLs) que autorizam o Banrisul a criar duas subsidiárias foi adiada na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Na terça-feira, dia 26, por falta de quórum, ambos deixaram de ser votados.

Diretores do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e da Fetrafi-RS compareceram novamente ao parlamento gaúcho para acompanhar os desdobramentos das propostas de criação das subsidiárias Banrisul Administradora de Cartões (PL 279) e de uma corretora (PL 276) para atuar no ramo de distribuição de seguros, previdência aberta e capitalização.

Os dirigentes sindicais atuaram no sentido de criar salvaguardas aos direitos dos banrisulenses e pela manutenção da função social de banco público do Banrisul.

Novos questionamentos foram suscitados quanto à administração das empresas criadas e às garantias de direitos dos trabalhadores. Os sindicalistas procuraram diversos deputados estaduais para dialogar. A intenção foi buscar segurança jurídica, proteger o banco de privatizações futuras e atuar em defesa dos trabalhadores.

Cabe lembrar que o movimento sindical não é contra iniciativas que viabilizem e dinamizem o banco. "Queremos um debate transparente e que o Grupo Banrisul permaneça como uma empresa pública a serviço da sociedade gaúcha", esclareceram os sindicalistas.

Foram os sindicatos que organizaram o Projeto de Emenda Constitucional (PEC), em junho de 2002, que virou lei e condiciona qualquer intenção de venda do Banrisul a um plebiscito. A avaliação é que essa legislação garante que o banco será mantido público futuramente.

O SindBancários e a Fetrafi-RS continuarão firmes na defesa do interesse dos trabalhadores e de um Banrisul cada vez mais forte.


Fonte: Contraf-CUT com Seeb Porto Alegre e Fetrafi-RS - 27/11/2013