Webmail

Assédio moral nos locais de trabalho deve ser denunciado
30/04/2012

Um problema cada vez mais recorrente no ambiente de trabalho, o assédio moral é tema da entrevista semanal da CUT TV. Vale a pena acompanhar a entrevista, porque muitos profissionais sofrem assédio e não sabem. A prática, que comprovadamente afeta a saúde dos trabalhadores, deve ser denunciada.

De acordo com o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs), Alci Matos Araújo,xingamentos, atos e falas do proprietário da empresa ou de gerentes para menosprezar ou diminuir um funcionário são alguns dos exemplos de assédio moral.

O secretário de Comunicação da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Daniel Reis, diz que normalmente oassédio moral é fruto de uma má gestão. Por isso, via de regra, denúncias feitas pelos trabalhadores acarretam pena não somente ao assediador, mas também à empresa.

Os entrevistados aconselham os trabalhadores a levantar provas ou reunir colegas que tenham denúncia contra um mesmo assediador. Oprimeiro passo é procurar o sindicatoque representa a categoria – como, por exemplo, o Sindijor- PRno caso dos jornalistas.

“A pessoa que sofreu assédio, normalmente tem medo de fazer a denúncia” , explica Araújo. Por isso, o sindicato pode levar a denúncia (e preservando o trabalhador) aoMinistério Público do Trabalho (MPT), que pode chamar o assediador e empresa para firmarem um termo de ajustamento de conduta (TAC).Em casos considerados mais graves, pode haver aplicação de multa.Os trabalhadores também podem processar o assediador.

“Temos casos de depressão, hipertensão, de doenças do coração oriundas do assédio moral”, diz Reis. O problema é grave e deve ser denunciado.

* Odiário