Webmail

Artigo: Agroecologia ou Agronegócio?
20/02/2011

Os dados de órgãos do próprio governo seguem a confirmar a grande importância da agricultura familiar para a garantia da alimentação do povo brasileiro.  É o que nos mostra no artigo Agroecologia ou Agronegócio?, o ex-presidente do Incra, que atualmente é diretor da Codeplan (Companhia de Desenvolvimento do Distrito Federal), Oswaldo Russo.

Conforme Russo, o Censo Agropecuário 2006 mostrou que a “a agricultura familiar é responsável por garantir a segurança alimentar do país, gerando os produtos da cesta básica consumidos internamente”, na medida em que “responde por 87% da produção de mandioca, 70% da produção de feijão, 46% do milho, 38% do café, 34% do arroz, 58% do leite, 59% do plantel de suínos, 50% das aves, 30% dos bovinos e, ainda, 21% do trigo”.

Além disso, Oswaldo Russo, que também é estatístico, expõe um dado importantíssimo, que é “esquecido” pelos órgãos da mídia hegemônica quando se referem à agricultura.  Esse dado diz respeito à eficiência superior da agricultura familiar na utilização da terra quando comparada com o agronegócio. Russo conta que o Censo apurou que o VBP (Valor Bruto de Produção) da agricultura não familiar alcança os R$ 358,00 por hectare ao passo que a agricultura familiar gera um VBP 89% maior, de R$ 677,00 por hectare. Outro dado significativo, também sonegado pela mídia hegemônica, refere-se à geração de empregos.  As propriedades da agricultura familiar “geram 15 postos de trabalho/100 ha, enquanto que a não familiar gera apenas 1,7 pessoas/100 há”, afirma Russo.

No artigo, Oswaldo Russo também critica o modelo de agricultura, concentrador de terras, praticado no país, uma vez que“apesar dos assentamentos agrários (um milhão) realizados no Brasil desde a criação do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em 1970” os dados do Censo mostram que “a concentração é superior, hoje, aos índices apurados em 1985 e 1995”.

Concluindo, Oswaldo Russopropõe a priorização da agricultura ecológica.  “É preciso, sobretudo, romper progressivamente com o modelo atual, hegemonizado pelo agronegócio, priorizando a agroecologia e integrando a agricultura camponesa a um novo tipo de desenvolvimento”, sustenta Russo.

Vale a penas ler a integra do artigo e Oswaldo Russo.  Para isso, acesse o sítio www.correiocidadania.com.br, data de 18/02/2011, ou http://www.correiocidadania.com.br/content/view/5508/9/.

 

 

Secretaria de Imprensa e Divulgação