Webmail

Vítimas de acidentes e doenças do trabalho são lembradas no dia 28 de abril
30/04/2009

O Dia mundial em memória das vítimas de acidentes de trabalho – 28 de abril reuniu trabalhadores, sindicalistas e profissionais da área da saúde na manhã desta terça-feira. Com o objetivo de debater com a sociedade sobre uma das prioridades na luta do movimento sindical por melhores condições de saúde e de segurança no trabalho, o Fórum Sindical de Saúde do Trabalhador promoveu atividades alusivas à data, no Largo Glênio Peres, em Porto Alegre.

Houve transmissão via rádio comunitária ao vivo; lançamento do Boletim Epidemiológico/SES Edição Saúde do Trabalhador; divulgação do livro: Análises de Acidentes do Trabalho Fatais no Rio Grande do Sul; divulgação da Campanha Nacional pelo Banimento do Amianto; discussão sobre o Fator Previdenciário e orientações sobre Assessoria Jurídica e Saúde do Trabalhador.

Para o presidente da CUT-RS, Celso Woyciechowski é fundamental que a reflexão deste dia se transforme em ações que melhorem as condições de trabalho. “Precisamos pensar na responsabilidade social das empresas, principalmente dessas que tem um grande número de vítimas de acidente de trabalho. Além disso, é necessário lutar pela redução da jornada de trabalho, que é uma das grandes causadoras de problemas de saúde nos trabalhadores”, declarou.

O diretor de Saúde da Feeb/RS, Amaro Souza diz que atividade conseguiu envolver toda a sociedade, aposentados, estudantes, trabalhadores e desempregados, em discussões que são essenciais para a preservação da saúde no trabalho. “Garantimos à sociedade mais uma oportunidade de denúncia e reivindicação. Questões como o fim do Fator Previdenciário; a humanização do atendimento nas perícias médicas do INSS e a melhoria das condições de trabalho e de saúde nas instituições públicas e privadas foram pautadas através da rádio interativa. A mobilização do povo na rua foi apontada como a única forma de avançar nas conquistas junto à Previdência e nos locais de trabalho”, salienta o diretor.

Histórico

A data comemorativa do 28 de Abril, surgiu no Canadá por iniciativa do movimento sindical, espalhando-se por diversos países, organizado por sindicatos, federações, confederações locais e internacionais. Esse dia foi escolhido em razão de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, no ano de 1969. A OIT, desde 2003, consagra a data à reflexão sobre a segurança e saúde no trabalho. Em maio de 2005 o 28 de Abril foi instituído no Brasil como o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, pela Lei nº 11.121.

Estatísticas

No Brasil, são gastos bilhões em recursos públicos com os acidentes de trabalho, pois a parte majoritária da assistência é prestada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os benefícios por incapacidade temporária ou permanente, bem como as pensões por morte dos beneficiários, são arcados com os recursos do sistema de Previdência Social (RGPS).

O dia 28 de Abril vem se consolidando como uma data do calendário do movimento sindical brasileiro, de outras organizações sociais e do próprio governo federal para reverter esse quadro alarmante que envolve a saúde do trabalhador.

Segundo estimativas da OIT, ocorrem anualmente no mundo, cerca de 270 milhões de acidentes de trabalho, além de aproximadamente 160 milhões de casos de doenças ocupacionais. Essas ocorrências chegam a comprometer 4% do PIB mundial. Cada acidente ou doença representa, em média, a perda de quatro dias de trabalho.

Todos os anos morrem, no Brasil, três mil trabalhadores - uma morte a cada duas horas de trabalho - e outros 300 mil se acidentam - três acidentes a cada minuto trabalhado. O Anuário Estatístico da Previdência Social registra, em 2004, 465.700 acidentes de trabalho no País, em 2005 esse número chegou a 499.680, em 2006 503.890 e em 2007 (última publicação) o número atingiu 653.090 casos.

Fonte: Imprensa/Feeb-RS - 28/04/2009