Webmail

Bancários cobram conclusão do novo Plano de Carreira do Banrisul
15/09/2011

A segunda rodada de negociação específica entre o Comando dos Banrisulenses e a direção do Banrisul ocorreu na tarde de terça-feira, dia 13, no prédio da Direção Geral, em Porto Alegre. Participaram dirigentes da Contraf-CUT, Fetrafi-RS, Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e sindicatos do interior gaúcho. O funcionário do Banrisul e secretário de Assuntos Socioeconômicos Antonio Piroti representou a Contraf-CUT.

Durante a reunião foram retomados os debates sobre a pauta de reivindicações específicas dos trabalhadores com destaque para a necessidade de conclusão do novo plano de carreira; aumento do piso; valorização das funções de caixa e tesouraria; criação de uma gratificação fixa de R$ 1.000,00 para os operadores de negócios e jornada de 6h para todos os comissionados, sem redução salarial. 

Quanto ao Plano de Carreira, os representantes do banco disseram que o prazo para conclusão e implantação será estendido até junho de 2012. O movimento sindical reivindicou a antecipação deste prazo, mas o Banco alegou que será necessária uma análise mais detalhada do impacto financeiro gerado pelo novo plano sobre as receitas da instituição.

Os sindicalistas salientaram que os debates na Comissão Paritária para discussão do Plano de Carreira chegaram a impasses em algumas premissas. O movimento sindical defende que todo reajuste concedido durante as campanhas salariais incida sobre a tabela do novo plano, a fim de evitar a defasagem salarial. Para os dirigentes sindicais, o objetivo é valorizar os trabalhadores do Banrisul, gerando perspectivas de carreira e a motivação de todo o quadro.

Os negociadores do banco concordaram com a necessidade de encontrar um instrumento que permita a proteção do quadro de carreira, evitando sua defasagem. O banco também admitiu que hoje há um cenário financeiro favorável à melhoria do piso. Entretanto, a instituição irá aguardar a proposta de remuneração da Fenaban - que deve ser divulgada na mesa de negociação geral da Campanha Nacional, no dia 20 de setembro - para propor algo específico sobre o piso dos banrisulenses.

Gratificações

O Comando dos Banrisulenses insistiu na necessidade de melhoria das gratificações de função para bancários que exercem as funções de caixa e tesouraria. Além disso, os sindicalistas propuseram ao banco a criação de uma gratificação específica e fixa para os operadores de negócios, no valor de R$ 1.000,00. 

Os sindicalistas explicaram que os operadores são responsáveis por 75% dos negócios do Banco, são os funcionários mais cobrados e sofrem mais assédio moral para o cumprimento de metas, mas nem sempre obtêm a remuneração variável. 

"Queremos corrigir esta distorção e lembramos que em outros bancos, a função dos ONs recebe a nomenclatura de gerente de contas, entretanto a remuneração chega a ser três vezes superior à recebida por um operador do Banrisul", afirmaram os dirigentes sindicais. 

Combate às metas abusivas

O Comando dos Banrisulenses voltou a cobrar dos representantes do Banco a definição de novos critérios para a gestão das metas. Os sindicalistas reafirmaram que os critérios atuais tem foco individual e geram grande pressão sobre os bancários, levando ao adoecimento físico e psíquico.

A comissão de negociação do Banrisul disse que as reivindicações apresentadas nesta rodada serão avaliadas pela diretoria do Banco, pois a palavra final não depende dos negociadores. 

O Comando dos Banrisulenses deixou claro que os bancários preparam uma grande mobilização para esta Campanha Nacional, na qual os funcionários do Banrisul terão papel fundamental. "Temos certeza de que não haverá avanços gerais na campanha sem um amplo movimento de bancários de bancos públicos e privados. Os banrisulenses estão prontos para lutar por seus objetivos", afirmaram os sindicalistas.

As próximas reuniões de negociação com a direção do Banrisul foram marcadas para os dias 16 e 23 de setembro, às 14h, também no prédio da Direção Geral.


Fonte: Contraf-CUT com Fetrafi-RS – 13/09/2011