Webmail

Negociação da pauta específica com Banco do Brasil começa no dia 9
02/09/2011

A primeira rodada de negociação das reivindicações específicas dos funcionários do Banco do Brasil será realizada no dia 9 de setembro, em Brasília, entre o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, e a direção do BB. Os temas serão emprego, saúde e condições de trabalho, Cassi e Previ.

 

"Vamos começar a discussão por duas questões fundamentais, que são a proteção à vida e o nosso futuro. As questões econômicas específicas serão debatidas em rodadas posteriores, que serão definidas na próxima semana", afirma Eduardo Araújo, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

 

Segundo o diretor da Fetrafi-RS, Ronaldo Zeni, é preciso melhores condições de trabalho e que o banco volte a assumir o papel de Banco Público. "As negociações deste ano começam pela imensa pauta represada que temos em relação ao BB. Precisamos ter uma solução para as demandas que dão conta de uma melhor condição de trabalho com mais segurança e estabilidade. As questões econômicas, que serão discutidas nas próximas reuniões envolvem também um PCCS para um Banco Público que o Brasil precisa", afirma Zeni.

 

A pauta de reivindicações específicas do BB foi aprovada pelo 22º Congresso Nacional do Funcionalismo, realizado em São Paulo dias 9 e 10 de julho. As reivindicações que são comuns aos bancários de todos os bancos, como o índice de reajuste, serão negociadas na mesa única da Fenaban, onde o BB também está representado.

 

Os temas da primeira rodada de negociação no dia 9, às 10h, são os seguintes:

Jornada de trabalho e emprego

> Contratação de mais cinco mil funcionários.
> Todos os aplicativos de trabalho no BB devem ser vinculados ao ponto eletrônico.
> 6 horas para todos os comissionados sem redução de salários.
> Coibir os descomissionamentos.
> Integração de 15 minutos de intervalo na jornada.
> Fim das terceirizações.
> CABB - Integração de 20 minutos de descanso na jornada.
> Caixas - pausa de 10 minutos a cada hora de trabalho.
> Concessão de uma folga para provas de certificação.
> Garantir o estudo para certificações dentro do horário de expediente.
> Horas extras com pagamento de 125% da hora normal.
> Fim da compensação de banco de horas do SISBB. 
> Pagamento de 100% das horas extras para todos.

Saúde e condições de trabalho

> Combate ao assédio moral e às metas abusivas.
> Garantir a todos os funcionários de bancos incorporados o direito de se associar à Cassi. O lema é: "Cassi e Previ para todos, respeitando todos os direitos".
> Fim da trava de dois anos para transferências.
> Melhoria do atendimento Cassi em cidades no interior, com instalação de serviços próprios (CliniCassi) ou através de convênio reciprocidade/cooperação com outros planos sem a existência de travas.
> Implantação de Ambulatório de Saúde do Trabalhador nos locais de trabalho com maior concentração de funcionários, conforme previsto no Sesmt.

Previdência 

> Fim do voto de Minerva no Conselho Deliberativo da Previ.
> Redução da Parcela Previ do Plano 1.
> Redução da Parcela Previ, no benefício de risco, do Previ Futuro
> Fim do Fator Previdenciário.
> Direito de acesso à Previ para funcionários incorporados.
> Teto do NRF especial para benefícios. Fim do fator previdenciário
> Que a Previ reforce junto às empresas participadas ações de responsabilidade socioambiental e empresarial e de combate às práticas antissindicais.
> Volta da consulta ao corpo social.
> Lutar pelo resgate da contribuição patronal do Previ Futuro.
> Retorno da Diretoria de Participações aos eleitos.