Webmail

HSBC desrespeita funcionários e muda data do pagamento do PPR
30/08/2011

A falta de negociação entre os representantes dos bancários e o HSBC sobre os programas próprios de remuneração do banco causou mais um enorme transtorno para os bancários. O banco anunciou que não depositaria os valores do PPR/PSV (Programa de Participação por Resultados) na sexta-feira, dia 26, conforme informado anteriormente.

"O banco não pode mudar o que ele mesmo havia estabelecido. Há bancários que já gastaram por conta, uma vez que o valor a ser recebido podia ser acompanhado nos extratos do programa", lamenta Miguel Pereira, secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT e funcionário do HSBC.

 

"O banco precisa deixar de lado sua intransigência e passar a negociar com os representantes dos trabalhadores as regras dos programas de remuneração, como cobramos desde o início. Basta de modificações unilaterais feitas pela comissão indicada pela empresa", defende.

A empresa havia anunciado no início do ano que faria o pagamento no mês de agosto. No entanto, decidiu agora que só pagará o PPR/PSV junto com a Participação nos Lucros e Resultados, no final da campanha deste ano.

Como "solução" para o caso, o banco ofereceu uma linha específica de crédito aos empregados com cobrança de juros e IOF, no limite do valor que receberiam. "É uma ideia absurda. Por que o banco não encontrou outra solução, como adiantar os valores?", questiona Miguel. "Esse tipo de problema vai continuar enquanto o banco não passar a negociar os termos do PPR/PSV como movimento sindical", sustenta.

*Contraf-CUT, com Seeb SP