Webmail

Bancários esperam avanços no Fórum de Saúde do Santander nesta sexta
14/07/2011

A Contraf-CUT, federações e sindicatos participam nesta sexta-feira, dia 15, às 14 horas, do Fórum de Saúde e Condições de Trabalho do Santander. A reunião ocorre no Casa 1, em São Paulo. Também comparecem representantes de cipas.

"Esperamos o atendimento da pauta de reivindicações apresentadas no dia 10 de junho, quando foi retomado esse espaço de debates previsto na cláusula 26ª do acordo coletivo de trabalho aditivo do Santander à convenção coletiva dos bancários", afirma o coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander, Marcelo Sá. 

Conforme ficou definido na reunião anterior, estarão em debate os itens 03, 04, 05, 08, 09, 10 e 11 da pauta.

Clique aqui para ler a pauta de reivindicações. 

O funcionário do Santander e diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Marcelo Gonçalves, aguarda uma boa apresentação das informações e do funcionamento das áreas de saúde da empresa (SESMT), bem como dos esclarecimentos solicitados e que serão necessários para a construção de ações preventivas e acordos sobre saúde e condições de trabalho. "Vamos para a reunião com a expectativa de que o Santander apresente dados que possam permitir resultados positivos para os trabalhadores", projetou. 

Marketing

"O Fórum de Saúde virou peça de marketing do banco, como aparece no relatório de Indicadores de Sustentabilidade do Santander de 2010, ano em que não ocorreu nenhuma reunião", recordou na última reunião o funcionário do Santander e secretário de imprensa da Contraf-CUT, Ademir Wiederkehr. 

Ele lembrou que consta na página 27 do relatório, que o banco distribuiu aos acionistas, que "o Comitê de Relações Trabalhistas e o Fórum de Saúde exercem papel fundamental, uma vez que as entidades sindicais pontuam questões das mais diversas, o que contribui para melhorias de ações internas".

"Nós queremos que esse espaço seja valorizado na prática pelo banco, construindo soluções concretas para melhorar a saúde dos funcionários e o ambiente de trabalho, evitando o adoecimento de muitos colegas, garantindo atendimento digno para todos e buscando qualidade de vida", frisou o diretor da Contraf-CUT.

Bancarização X Saúde do Trabalhador

O Santander anunciou no último dia 1º que o banco quer liderar o processo de bancarização na América Latina nos próximos dez anos. Em apresentação durante evento em Madri, na Espanha, José Antonio Álvarez, diretor financeiro do grupo, disse que as economias dos países crescem em velocidades diferentes atualmente, com os mercados emergentes em vantagem em relação aos desenvolvidos.

Álvarez contou que, no balanço do primeiro trimestre de 2011, os emergentes já respondiam por 43% do lucro do Santander, com os desenvolvidos em recuperação (Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha e restante da Europa, sem Portugal e Espanha) com 41%. O maior resultado já vem do Brasil, com 25%, seguido por Reino Unido (17%) e Espanha (13%).

"Não queremos bancarização sem bancários, mas sim a universalização dos serviços para todos os brasileiros, com bancários e segurança. Além disso, a busca de resultados não pode continuar sendo feita na base da cobrança de metas abusivas e assédio moral. Cobramos a melhoria das condições de trabalho e o respeito à saúde dos trabalhadores, pois eles são os principais responsáveis pelos lucros do banco e não podem ser tratados como segunda categoria, enquanto os altos executivos recebem ganhos milionários por ano", concluiu Ademir.

Reunião da COE do Santander

Antes do Fórum de Saúde, a Contraf-CUT realiza no mesmo dia, às 10 horas, uma reunião da COE do Santander, na sede da Confederação (Rua Líbero Badaró, 158 - 1º andar), no centro de São Paulo. O objetivo é preparar os debates com o banco. 


Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo e IG