Webmail

94,6% dos empregados da Caixa sobem ao menos um delta na promoção por mérito
16/03/2011

A Caixa Econômica Federal encerrou o processo de Promoção por Mérito referente a 2010. Segundo informações da empresa, a mudança na metodologia de avaliação conquistada pelos bancários na Campanha Nacional 2010 aumentou significativamente o número de trabalhadores promovidos.  

Receberam dois deltas 9,5% dos empregados promovíveis, enquanto 85,1% receberam um delta e apenas 5,4% permaneceram no mesmo estágio da carreira do PCS. Os resultados serão pagos aos bancários na próxima folha de pagamento, retroativamente a janeiro de 2011.

Isso não seria possível no modelo fixado em 2008, que tinha percentuais fixos em cada unidade: 30% dos bancários promovíveis recebia dois deltas, 50% apenas um e 20% ficaria sem nenhuma movimentação. Criticado desde o princípio pelo movimento sindical, o modelo foi alterado em 2010 para um método de linha de corte, em que todos os bancários que recebem avaliação igual ou superior a uma nota pré-determinada recebem pelo menos um delta.

"O novo modelo é uma importante conquista dos bancários. Essa proposta é fruto dos debates do 26º Conecef, onde os empregados definiram o critério de linha de corte como o mais interessante para os bancários, o que agora se mostra um grande acerto", afirma Jair Ferreira, coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa, órgão da Contraf-CUT que assessora as negociações com o banco federal.  

A linha de corte foi definida em 8,2, nota 15% inferior à média alcançada pelos bancários na avaliação de 2008. O segundo delta foi distribuído para os melhores avaliados até que se esgotasse o orçamento disponível no banco para as promoções.  

"O aumento substancial no número de bancários promovidos mostra o acerto do movimento sindical em lutar por essa mudança", afirma Antonio Luiz Fermino, representante da Fetec PR na Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa. "O novo modelo também eliminou a competição predatória nas unidades, ao focar no cenário nacional", completa. 

"É um critério que dá igualdade de condições para todos e garante que todos os bancários tenham a possibilidade de receber ao menos um delta, o que não acontecia no modelo anterior", afirma Jair. "Os bancários da Caixa já receberam um delta em dezembro de 2010, retroativo a janeiro do mesmo ano, como compensação pela não realização por parte do banco do processo de avaliação por mérito de 2009. Agora, recebem mais um fruto da forte greve que fizemos no ano passado, a maior da categoria em muitos anos. Vamos nos preparar para uma mobilização ainda mais forte, pois só assim avançaremos mais". 

Fonte: Contraf-CUT