Webmail

Itaú Unibanco paga nesta quarta antecipação da PLR aos funcionários
26/10/2010

Os quinze dias parados durante a greve nacional da categoria já começaram a ser compensados pelos bancários. Ao longo das negociações os bancos queriam descontar os dias parados, mas após debates com o movimento sindical, concordaram em efetuar a compensação nos mesmos critérios do ano passado. 

Com isso, todos os bancários de bancos privados e das instituições públicas – Banco do Brasil, Caixa Federal e Banrisul também vão cumprir o acordo. A compensação tem limite diário de duas horas por dia, como limita a CLT e não podem ser computados sábados, domingos e feriados e nem as horas extras já praticadas pelos bancários. O prazo para compensação se encerra em 15 de dezembro. 

A compensação dos dias parados na greve começou a valer após a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho, ocorrida na última quarta-feira (20). 

“Os bancários devem ficar atentos, pois as horas extras feitas antes da greve não podem ser computadas para efeito de compensação e devem ser pagas pelos bancos normalmente. Por outro lado, os bancários que se sentirem prejudicados ou desrespeitados devem procurar seus sindicatos de origem. No caso dos empregados da Caixa, a atenção deve ser redobrada porque nos últimos anos a empresa teve uma postura ruim e chegou a descontar em folha os dias parados na greve”, explica o diretor da Fetrafi-RS, Arnoni Hanke.

Sobre a greve da categoria

Em 2010 os bancários fizeram a maior greve registrada nos últimos 20 anos. O movimento iniciou no dia 29 de setembro e foi encerrado após quinze dias após novas propostas da Fenaban, Caixa, Banco do Brasil e Banrisul. No Rio Grande do Sul o movimento chegou a atingir 744 unidades no último dia de greve, considerando agências, postos de atendimento e departamentos de bancos públicos e privados.


Fonte: Imprensa Fetrafi-RS – 25/10/2010