Webmail

HSBC não descontará na PLR valor antecipado por PPR não paga em 2009
21/10/2010

O HSBC não irá descontar na Participação nos Lucros e Resultados (PLR) deste ano os 15% de um valor de referência antecipados em 2009 aos trabalhadores. O banco inglês havia pago a antecipação para amenizar o descontentamento e a desmotivação gerados nos bancários com o não pagamento do programa próprio de remuneração da empresa (PPR/PSV) naquele ano.

Esse valor, no entanto, poderá ser descontado junto ao PPR que será pago em fevereiro de 2011. Porém, a Contraf-CUT já encaminhou uma carta à direção da empresa cobrando esclarecimentos sobre o programa e exigindo o não desconto.

> Veja mais
Contraf-CUT e sindicatos cobram esclarecimentos do HSBC sobre balanço 2009 

PLR

Os trabalhadores dos bancos privados recebem a PLR até dez dias corridos após assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho 2010/2011 (CCT) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), marcada para esta quarta-feira, 20. 

O banco inglês irá pagar até dia 30 a antecipação da PLR que prevê 
60% da regra básica da PLR que corresponde a 54% do salário mais R$ 660,48, com teto de R$ 4.308,60. Também será paga a primeira parcela do adicional da PLR com a distribuição de 2% do lucro líquido do primeiro semestre, com teto de R$ 1.200. No caso do HSBC, o valor da primeira parcela do adicional deverá ficar em torno de R$ 400, segundo cálculos do Dieese.

"A luta com o HSBC ainda não acabou. Além da PLR, há diversos outros problemas gravíssimos que os trabalhadores enfrentam, como assédio moral, metas abusivas, falta de reconhecimento, baixos salários, entre outros", afirma Sérgio Siqueira, diretor da Contraf-CUT e funcionário do banco.

A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC irá agendar nos próximos dias uma reunião para debater o tema e as demais reclamações dos trabalhadores junto ao banco.

(Atualizado às 16h do dia 20/10) 

Fonte: Contraf-CUT – 19/10/2010