Webmail

Fetrafi-RS e Sindfin assinam CCT dos trabalhadores em Sociedades de Crédito, Financiamento e Investi
23/09/2010

Convenção foi selada com grandes avanços como o pagamento linear da PLR e aumento de 100% no cheque-rancho

Após quase oito meses de reuniões, foram concluídas na última sexta-feira as negociações entre a Fetrafi-RS e o Sindfin pela Campanha Salarial dos Trabalhadores em Sociedades de Crédito, Financiamento e Investimento. A assinatura da CCT 2010/2011 garantiu novas conquistas para os trabalhadores do setor em diversas cláusulas. 

As cláusulas sociais e sindicais desta convenção serão válidas por dois anos, com renegociação em agosto de 2012. Já as cláusulas econômicas, voltarão a ser renegociadas em 1º de agosto de 2011.

Veja os detalhes da CCT 2010/2011: 

Índice: Concessão de reajuste de 4,44% ( INPC do período de setembro de 2009 a agosto de 2010, calculado pelo IBGE) sobre todas as verbas de natureza salarial. 

Pisos: Os pisos para as funções de contínuo, office-boy, porteiro, serventes e aprendizes serão corrigidos pelo índice aplicado ao piso regional do RS, de 6,9%, totalizando R$ 580,75. Os demais cargos terão piso de ingresso de R$ 685,72. 

Anuênio: R$ 8,73 

Quebra-de-Caixa: R$ 59,57 

Ajuda-Alimentação (refeição): 22 tíquetes de R$ 18,10; 

Comissão de função – Aumentou de 30% para 45%. 

Suplementação por auxílio-doença – Pagamento de 50% da diferença entre o salário do trabalhador e o valor pago pela previdência, desde o 16º até o 45º dia de afastamento do trabalho. 

Cheque-rancho – Passou de R$ 40 para R$ 80,00, constituindo a maior conquista desta campanha. Houve avanço tanto na questão econômica quanto na nomenclatura do benefíci,  que será chamado de Cheque de Negociação Sindical. Concedido pela primeira vez em 2008 como uma cesta de bonificação de Páscoa, após intensas negociações, o benefício foi incorporado à Convenção Coletiva. 

PLR: A forma de distribuição da Participação nos Lucros e Resultados será linear, com pagamento de valores iguais para todos os empregados. Esta era uma antiga reivindicação do movimento sindical. Desta maneira, todos os trabalhadores receberão o mesmo valor de PLR, independente do cargo que ocupam. 

Plano de Saúde: As empresas que têm menos de 50 empregados também deverão optar por um contrato de plano de saúde ou terão que ressarcir cada funcionário com a importância máxima de R$ 50,00. Isto equivale a reembolso por despesas do empregado com a contratação individual de plano de saúde. 

Avaliação 

Segundo o diretor da Fetrafi-RS, Luiz Carlos Barbosa, a dinâmica das negociações mudou e houve interesse das duas partes no processo de negociação, que iniciou em janeiro de 2010. “Estes fatores proporcionaram debates mais detalhados sobre todas as cláusulas, avaliando as reais possibilidades de avanços. Foi possível estabelecer novas conquistas como o pagamento linear da PLR e um aumento de 50% na gratificação de função”, salienta Barbosa. 

Os representantes do movimento sindical no processo de negociação foram os diretores da Fetrafi-RS, Luiz Carlos Barbosa, Arnoni Hanke e Régis Tasch Killian; do SindBancários, Antonio Augusto Borges de Borges e o assessor Jurídico da Federação, Milton Fagundes.

Fonte: Imprensa Fetrafi-RS - 21/09/2010