Webmail

Lucro do Bradesco de R$ 8,012 bilhões em 2009 garante PLR cheia
01/02/2010

Primeiro grande banco a divulgar o balanço de 2009, o Bradesco apresentou lucro líquido de R$ 8,012 bilhões, crescimento de 5,1% em relação aos R$ 7,625 bilhões do ano passado. Assim, os funcionários devem receber o teto da PLR, de 2,2 salários (descontada a primeira parcela paga em outubro passado, de 54% do salário mais R$ 614). O valor adicional da PLR será de R$ 2.100 (descontados os R$ 1.050 já pagos em outubro), que representa o teto da regra dos 2% do lucro líquido.

"Esse resultado indica que os bancários estavam certos ao lutar pela alteração na regra do adicional da PLR", afirma o presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Luiz Cláudio Marcolino, lembrando que até 2008 o adicional era pago de acordo com o crescimento do lucro. 

"Apostamos na mudança para um valor perene, de 2% do lucro líquido independente da variação desse indicador, porque sabíamos que esses resultados já são muitos altos, devendo se manter num patamar próximo no médio prazo", completa.

O presidente do Sindicato recorda que em 2009 os banqueiros queriam, inclusive, reduzir o valor da PLR. "Mas os bancários foram à greve e pelo sexto ano seguido garantiram, além do aumento real de salário, melhorias na PLR com essa alteração da regra. Foi mais uma vitória da união entre os empregados dos bancos privados e públicos de todo o Brasil", completa Marcolino.

"Como o banco já divulgou o balanço, pode pagar imediatamente esses valores aos bancários. Vamos entrar em contato com a direção do Bradesco para que antecipe a distribuição da PLR e não aguarde o prazo limite de 1º de março", ressalta Marcolino.

Balanço 

O Bradesco informou em seu balanço, divulgado nesta quinta-feira, dia 28, que mantém uma rede de atendimento de 3.454 agências tradicionais, 1.190 PABs, e 1.371 PAAs em todos os municípios do país, além de 30.657 máquinas de autoatendimento. 

O lucro, de R$ 8,012 bilhões, é o terceiro maior da última década, de acordo com a consultoria Economática. O levantamento, feito com base em informações prestadas pelo banco à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em valores nominais (sem ajuste por inflação), coloca Banco do Brasil como o primeiro da década, com R$ 8,803 bilhões em 2008, e o Itaú em segundo, com lucro R$ 8,474 bilhões em 2007. 

A lista, no entanto, pode ser alterada já que esses dois bancos ainda não divulgaram seus lucros em 2009.


Fonte: Cláudia Motta - Seeb SãoPaulo – 28/01/2010