Webmail

Artigo: A criminalização da pobreza
22/12/2009

O sociólogo Léo Lince publicou, no dia 11 de dezembro, o artigo "A criminalização da pobreza" no qual discorre sobre a atuação da polícia do Estado do Rio de Janeiro.  No artigo, são apresentados dados estarrecedores a mostrar que a polícia do Rio é a que mais mata e a que mais morre, na comparação com outras polícias do Brasil e mesmo do restante do planeta.  Lince afirma, entre outras coisas, o seguinte:

“A polícia do Rio de Janeiro, em comparação com as suas congêneres do Brasil e do mundo, é a que mais mata e a que mais morre. Ela é ao mesmo tempo algoz e vítima de um processo vicioso que só faz agravar a espiral da violência, resultado inevitável de uma política de segurança da qual o governo se vangloria, apesar da sua comprovada ineficácia.”

“Em 2008, os policiais do Rio cometeram 1.137 homicídios durante o expediente ou fora dele. O tamanho do absurdo se mede pela comparação com outros estados e até países. No estado de São Paulo, foram 397 as mortes cometidas por policiais no mesmo período. Na África do Sul e nos Estados Unidos, considerado o país inteiro em ambos os casos, os números foram 468 e 371, respectivamente.’

 

‘Para os estudiosos mais acurados do assunto, a política de segurança adotada pelo governo Cabral é a causa maior do descalabro.’

 

‘Ancorada na lógica do confronto bruto, tal política opera na base da aceitação tácita do uso ilegal da força letal. Há muito que se denuncia, sem que se consiga estancar a sangria literal que daí decorre, os chamados "autos de resistência". São utilizados como forma de justificar os homicídios cometidos e funcionam, na prática, como uma licença para matar.’

 

‘A brutalidade policial cumpre também uma função política. A reprodução das relações sociais marcadas pela desigualdade e pela injustiça não se faz sem certo grau de violência segregacionista contra os mais pobres.”

 

Para ler a íntegra do artigo de Léo Lince, acesse http://www.correiocidadania.com.br/content/view/4136/45/

 

 

Secretaria de Imprensa e Divulgação