Webmail

Dirigentes sindicais discutem com o BB jornada para atendentes, CSO e excelência no atendimento
17/12/2009

Encontro com a Superintendência Estadual do banco ocorreu na última segunda-feira, dia 14

 

Dirigentes sindicais de todo o Estado estiveram reunidos com a Superintendência Estadual do BB nesta segunda, dia 14, em Porto Alegre. Os temas discutidos no encontro foram o processo de negociação local com Super e Gepes, excelência no atendimento, ascensão profissional, Cassi, GPD, implantação do PSO, transferência do CSO para Curitiba, segurança, dotação nas agências, metas e assedio moral. 

Uma das reivindicações foi o cumprimento do intervalo de dez minutos para os atendentes nas salas de autoatendimento, a cada 50 minutos trabalhados. De acordo com a Superintendência Estadual, será emitida determinação para que o intervalo seja respeitado, e qualquer irregularidade será denunciada. 

Outro problema discutido foi a localização do balcão de atendimento nas agências do BB, hoje instalados antes da porta giratória. “O funcionário que fica neste local está totalmente desprotegido pela porta giratória. Ele pode virar um alvo fácil em um suposto assalto”, observou o diretor de Formação do SindBancários, Ronaldo Zeni. 

Em resposta, os dirigentes do BB alegaram que o layout das novas agências já prevê o balcão de atendimento situado no interior do banco. Entretanto, foi cobrada uma atitude quanto aos atuais. “Em vários casos, basta uma simples mudança no balcão ou na porta giratória. Uma troca garante maior segurança para os funcionários”, acrescentou o diretor do SindBancários, Júlio Cesar Vivian. 

Os dirigentes sindicais criticaram a excelência no atendimento. Para o diretor de Comunicação do SindBancários, Flavio Pastoriz, há uma segregação onde o serviço de excelência foi implementado. “O acesso à população com menos poder aquisitivo é dificultado e isso não corresponde com os objetivos que o Banco do Brasil deveria seguir. Os brasileiros precisam ser atendidos pelos bancos públicos”, analisa. 

Também foram denunciadas práticas equivocadas e o assedio moral praticado por alguns administradores na cobrança por metas. “Sabemos de casos em que o telefone toca quatro vezes, e o funcionário é cobrado porque deixou o aparelho tocar ou até em que é contado o tempo de ida ao banheiro”, esclareceu Vivian. A Superintendência informou que as metas estarão limitadas ao orçamento das dependências. 

Quanto à ascensão profissional, Zeni avaliou que a postura do banco já mudou muito quanto à nomeação dos grevistas a cargos no BB, porém ainda há alguns pontos que devem ser modificados. “Na entrevista, percebemos algumas perguntas discriminatórias. Uma delas pergunta o que o funcionário fará em caso de greve. É necessária uma pergunta assim?” questionou Zeni. 

Outros temas: 

Segurança 

O banco se comprometeu em retomar os debates no Fórum de Segurança. 

CASSI 

Foi relatado o equívoco na condução do EPS (Exame Periódico de Saúde), que em muitos casos o funcionário nitidamente não está em condições de trabalhar normalmente e recebe o atestado como apto. 

GPD 

Foi denunciado que algumas gerências vinculam as metas na GPD. A Superintendência se comprometeu de orientar formalmente, em conjunto com a GEPES, a não inserir este tema na GPD. 

PSO 

A implantação no Estado se dará no segundo semestre de 2010. Tão logo a Superintendência tenha a dotação, será apresentado aos sindicatos. 

CSO 

Foram apresentados três demandas propostas pelos funcionários da CSO. Quanto à participação de todos os inscritos na entrevista do processo seletivo para os cargos comissionados, a Superintendência vai orientar os administradores a chamar um maior número de trabalhadores em cada seleção. 

No caso da transferência para órgão interno de outra área meio com VCP e a transferência para Curitiba como assistente A, será indicado que os casos específicos serão tratados pela GEPES, em conjunto com a diretoria. 

Dotação das agências 

Em 2010 será reavaliado o quadro das agências, diante da contratação de 5 mil novos funcionários, assegurada na Campanha salarial de 2009. 

Nova reunião 

Ficou acertada uma nova reunião em março de 2010. Já estão pautados DRS, PSO e a campanha Tudo Tem Limite. 

Avaliação 

Para o SindBancários, a retomada do diálogo foi positiva, principalmente por se dar de forma muito objetiva e com soluções para problemas dos trabalhadores. Os dirigentes da entidade entendem que a abertura da negociação, possa ser objetivo para a solução das denúncias apresentadas pelos Sindicatos. 

Presentes 

Flávio Pastoriz (diretor de Comunicação do SindBancários) 
Ronaldo Zeni (diretor de Formação do SindBancários) 
Júlio Cesar Vivian (diretor do SindBancários) 
Pedro Loss (diretor do SindBancários) 
Mauro Rui Cardenas (diretor de Finanças da Feeb/RS) 
Eloi Horst (diretor da Feeb/RS) 
Edegar Soares Pires (Sindicato dos bancários de Bagé e região) 
Paulo Barros Noronha (Sindicato dos bancários de Rio Grande) 
Emerson de Oliveira (Sindicato dos bancários de Santa Cruz do Sul) 
Tania Teixeira (Sindicato dos bancários de Vale do Paranhana) 
Enio Friedrich (Sindicato dos bancários de Rio Pardo) 
Juarez Braga Zamberlan (Sindicato dos bancários de Horizontina e região) 
Cesar Simões dos Santos (Sindicato dos bancários de Santa Maria) 

 

Fonte: Imprensa SindBancários