Webmail

Na retomada da comissão de Saúde do Banrisul, bancários conquistam avanços
30/11/2009

A Comissão Paritária de Saúde Banrisul retomou os trabalhos na quarta-feira, dia 25, na DG e obteve avanços pontuais na pauta especifica de negociações. Os representantes sindicais na comissão destacam a isonomia de tratamento aos bancários afastado com os da ativa, a retomada da ginástica laboral entre outros. Nova reunião ficou agenda para 7 de dezembro, às 15h. O encontro será confirmado nos próximos dias. 

Para a ginástica laboral, os participantes apresentaram um pesquisa interna, onde praticamente 91% das agências responderam. A maioria dos trabalhadores/as que responderam favoravelmente à sua manutenção, pois a ginástica colabora na prevenção da saúde dos trabalhadores, submetidos a um ritmo de trabalho intenso. 

Com relação às doenças ocupacionais, principalmente as LER e as psicológicas, as representantes do Sesmt colocaram que há dificuldade em divulgar os dados devido a não informatização da área médica, pois os controles são feitos através da coletas de dados nas fichas dos atendimentos. Diante do posicionamento, os representantes sindicais solicitaram a incidência de doenças relacionadas LER e as psicológicas, as quais serão trazidas na próxima reunião. E também foi reivindicada a informatização da área de saúde do Banrisul. A solicitação será enviada à diretoria. 

A isonomia de tratamento ao bancário afastado com os da ativa, a demanda já havia sido conquistada na mesa de negociação da pauta específica. 

Outro ponto prevê o pagamento do salário de quem receber alta do INSS e for considerado inapto no exame de retorno ao trabalho. O pagamento deve ser mantido até que se esgotem todos os processos administrativos ou judiciais contra o INSS. A proposta será enviada à Gerencia de Gestão de Pessoas. 

O argumento dos representantes sindicais é de que os trabalhadores/as afastados não podem ficar sem salário num momento em que mais necessitam de tratamento, de remédios, e que também são penalizados pela Cabergs que se em três meses não pagarem o plano, têm sua carteira de atendimento bloqueada. 

O Banrisul se comprometeu em oferecer condições para a reabilitação dos portadores de doenças ocupacionais, que tenham sido ou não afastados do trabalho. As representantes do SESMT colocaram que é acompanhado a reabilitação, inclusive nas situações de assalto. 

Os representantes sindicais colocaram que muitas vezes o retorno nas agências para o/a trabalhador (a) não é fácil, pois aqueles que adoecem no trabalho são visto por algumas chefias como preguiçosos, ou que não querem trabalhar. Diante disto, sugeriram que seja dada orientação às chefias para o acolhimento e respeito ao colega que retorna ao trabalho. 

Eleição das CIPAs 

O Banrisul implementará, via eleição direta e com todas as prerrogativas e atribuições previstas na NR 5 (MTb) os representantes de CIPA, realizando o treinamento adequado, com a participação do movimento sindical. A demanda será remetida ao gerente de Gestão de Pessoas. A reivindicação do movimento sindical é a garantia da representação na agência e através de processo eleitoral. 

A concessão de pausas de 10 minutos para cada 50 trabalhados para todas as funções. Os representantes sindicais destacaram que a situação dos caixas não está resolvida, pois não executam pausas durante suas atividades. Por outro lado, as representantes do SESMT afirmaram que a mesma está sendo cumprida. 

O cumprimento de um Programa de Controle Médico em Saúde Ocupacional (PCMSO) de preservação da saúde, incluindo os problemas não ocupacionais, com ênfase especial aos relacionados ao trabalho. 

Os representantes sindicais colocaram que precisa ser aprimorado o PCMSO, como acontece em outros locais como no Banco do Brasil, que incluem exames clínicos, como colesterol etc. 

As representantes do SESMT colocaram que será remetida para a Gestão de Pessoas, assim como aceitaram visitar a Cassi do Banco do Brasil. 

Estiveram presentes à reunião por parte do movimento sindical a diretora de Saúde do SindBancários, Lourdes Rossoni, o diretor da Federação dos Bancários, Amaros Silva de Souza, o delegado sindical Jorge Almir Paz e a diretora do Sindicato de Guaporé, Carmem G Zanchett.. Pela empresa, representando a SESMT, estiveram Jovita Nunes, Claudia Luchese e Marisa Lia Faria. 

Confira a ata da reunião: 

Saúde e condições de trabalho: 

1 - Retorno imediato do projeto de Ginástica Laboral. - Foi apresentado alguns dados da pesquisa realizada pela intranet no Banrisul, onde praticamente 91% das agências responderam a pesquisa. Faltam poucas agências para dar retorno da pesquisa. Na próxima reunião será fechado o relatório para apresentação. Os representantes sindicais colocaram que os dados apresentados pela maioria dos trabalhadores/as que responderam a pesquisa deixam claro que defendem a manutenção da ginástica laboral em todas as agências, pois a ginástica colabora na prevenção da saúde dos trabalhadores, submetidos a um ritmo de trabalho intenso. 

2.1 - O Banrisul divulgará periodicamente as doenças ocupacionais principalmente as LER e as psicológicas, pelo alto risco na categoria, fazendo com que os bancários possam identificar seus sintomas precocemente, procurando o auxílio médico necessário. 

As representantes do Sesmt colocaram que há dificuldade de divulgar periodicamente os dados devido a não informatização da área médica, pois os controles são feitos através da coletas de dados nas fichas dos atendimentos. 

Os representantes sindicais solicitaram os dados sobra incidência de doenças relacionadas as lesões por esforços repetitivos(LER) e as psicológicas, as quais serão trazidas na próxima reunião. E também reivindicou a informatização da área de saúde do Banrisul. Será enviado ofício a diretoria com essa demanda. 

2.2 - Isonomia de tratamento ao bancário afastado com os da ativa. 
Está reivindicação já foi conquistada na mesa de negociação da pauta específica. 

2.3 - O banco deve assumir o pagamento do salário do bancário que tiver alta do INSS e que seja considerado inapto no exame de retorno ao trabalho. Este pagamento será garantido até que se esgotem todos os processos administrativos ou judiciais contra o INSS. 
As representantes do SESMT colocaram que será encaminhado ao gerente de Gestão de 
Pessoas esse item. 

Os representantes sindicais colocaram que os trabalhadores/as afastados por motivo de saúde não podem ficar sem salário num momento em que mais necessitam de tratamento, de remédios, e que também são penalizados pela Cabergs que se em três meses não pagarem o plano, estes bloqueiam a carteira de atendimento. 

2.4 - O Banrisul se compromete a dar as condições necessárias para a reabilitação dos portadores de doenças ocupacionais, que tenham sido ou não afastados do trabalho. 
As representantes do SESMT colocaram que há acompanhamento à reabilitação, inclusive nas situações de assalto. 

Os representantes sindicais colocaram que muitas vezes o retorno nas agências para o/a trabalhador (a) não é fácil, pois aqueles que adoecem no trabalho são visto como preguiçosos, ou que não querem trabalhar. por algumas chefias. Por isso sugeriram que seja dada orientação junto as chefias nas agências para o acolhimento e respeito ao colega que retorna ao trabalho após afastamento por saúde. 

Será fornecido na próxima reunião levantamento da mobilidade das pessoas que estão em afastamento e de retorno por motivo de saúde. 

2.5 - Onde a legislação atual não prever a eleição de CIPAs, o Banrisul implementará, via eleição direta e com todas as prerrogativas e atribuições previstas na NR 5 (MTb) os representantes de CIPA, realizando o treinamento adequado, com participação do movimento sindical na elaboração dos temas. 

As representantes do SESMT colocaram que o item será remetido para o gerente de Gestão de Pessoas. 

Os representantes sindicais reivindicam que seja garantida a representação na agência e através de processo eleitoral. 

2.6 - O Banco cumprirá a realização de pausas conforme previstas na NR 17, item 6.4.d., ou seja: a cada 50 minutos trabalhados um mínimo de 10 minutos de pausa, atinja todas as funções, que em análise ergonômica da atividade, tiverem exigência de sobrecarga dinâmica e estática na sua execução. 

Os representantes sindicais colocaram que não está resolvido na situação dos caixas, que não executam pausas durante as atividades. 

As representantes do SESMT colocaram que está sendo cumprida. 

2.7 - O Banrisul cumprirá um Programa de Controle Médico em saúde ocupacional (PCMSO-NR 7) que visará à preservação da saúde do trabalhador em todos os seus aspectos, incluindo os problemas de saúde de ordem não ocupacional, mas com ênfase especial do diagnóstico dos problemas de saúde relacionados ao trabalho. Desta forma, conforme redação da própria NR7, deverá ter prioridade na prevenção, rastreamento e diagnóstico preventivo dos aspectos de saúde relacionados ao trabalho, inclusive de natureza subclínica, além da constatação da existência de doenças ocupacionais. 

Os representantes sindicais colocaram que precisa ser aprimorado o PCMSO, como acontece em outros locais como no Banco do Brasil, que incluem exames clínicos, como colesterol etc. 

As representantes do SESMT colocaram que será remetida para a Gestão de Pessoas; E aceitaram visitar a Cassi do Banco do Brasil. 

2.8 - Deverão os profissionais do SESMT visitar continuamente os locais de trabalho e conhecer em profundidade as rotinas de trabalho e os riscos delas decorrentes, dando enfoque à prevenção. 

As representantes colocaram que estavam realizando as visitas nos locais de trabalho, principalmente nas situações de assalto. 

Os representantes colocaram que precisa aprofundar nas questões de prevenção; 

2.9 - Sempre que for necessária a realização de exames médicos específicos, os mesmos serão custeados pelo banco e realizados em local escolhido pelo trabalhador, sendo que os resultados serão fornecidos exclusivamente a ele, independente da existência de médicos, clínicas ou laboratórios credenciados à Cabergs. 

As representantes do SESMT colocaram que as consultas relativas às LER/DORT, portanto as doenças ocupacionais são ressarcidas. 

2.10 - O Banco cumprirá a legislação que prevê que nenhum trabalhador poderá ser dispensado sem o exame médico demissional, a ser realizado até a data da homologação, que observará, além de doenças não relacionadas ao trabalho, fundamentalmente, a possibilidade de existência de doença de origem ocupacional. Em hipótese alguma o 
Banrisul utilizará exame periódico como demissional. 

As representantes do SESMT colocaram que está sendo cumprida. 

2.11 - Além da relação de CAT´s emitidas mensalmente, o Banrisul fornecerá mensalmente às entidades sindicais listagem com os nomes dos empregados que retornaram de licença médica, indicando o local a que voltaram a desempenhar suas tarefas. 

As representantes colocaram que será dado retorno na próxima reunião. 

*Imprensa SindBancários com edição da Feeb/RS - 27/11/2009