Webmail

Trabalhadores do Itaú Unibanco conquistam avanços no convênio médico
23/11/2009

Nesta quarta-feira, 18, a Contraf-CUT e as entidades sindicais deram continuidade às negociações com o Itaú Unibanco para a unificação do convênio médico. O debate fez parte das discussões entre empresa e trabalhadores para equiparação dos direitos entre os funcionários oriundos dos dois bancos. A instituição apresentou alguns avanços em sua proposta, especialmente no que diz respeito ao pagamento da co-participação.

"O tema já está em discussão há mais de um mês com o banco e conseguimos uma vitória, com a isenção de co-participação em consultas para o titular do plano", afirma Jair Alves, um dos coordenadores da COE Itaú Unibanco. "É muito importante também que o banco tenha se comprometido a discutir junto aos sindicatos e federações os problemas localizados com a operadora, uma das maiores demandas dos funcionários", acrescenta.

Veja os principais pontos da negociação:

Co-participação

A empresa apresentou uma proposta garantindo a isenção de pagamento para o funcionário titular em consultas. No caso dos exames, o banco afirmou que o pagamento será feito de acordo com uma tabela ainda a ser divulgada e que, acima de determinado valor, os exames serão também isentos. Entre os exames citados pelo banco como isentos de co-participação, estão ecocardiograma, endoscopia, ressonância magnética, ultrassonogfrafia, tomografia computadorizada etc.

A proposta da empresa mantém o pagamento da co-participação para dependentes tanto em consultas quanto em exames. No caso de gestantes não titulares e recém-nascidos, estão garantidas nove consultas sem pagamento.

O limite de desconto mensal da co-participação ficou definido em 2% do salário do trabalhador. O restante do valor será pago pela empresa. O trabalhador não acumula saldo devedor. 

Up-grade do plano Especial para o Executivo

O banco manteve sua proposta para a tabela de valores para o up-grade do plano Especial para o Executivo. O movimento sindical voltou a reivindicar uma diminuição dos valores. No entanto, os negociadores da empresa afirmaram ser difícil avançar nessa questão. 

Veja os valores:

1 vida - R$ 195,01
2 vidas - R$ 216,67
3 vidas - R$ 240,51

Rede credenciada

Os dirigentes sindicais voltaram a reivindicar do banco solução para problemas de atendimento relatados por diversas federações e sindicatos em todo o país. A empresa assumiu compromisso com os trabalhadores de realizar reuniões específicas com cada entidade para rediscutir os problemas localizados, se necessário com a participação da operadora.

Dependentes

Ficou garantida aos trabalhadores oriundos do Unibanco e do antigo Nacional que têm seus pais como dependentes a manutenção dessa situação. Para os outros trabalhadores, pai e mãe serão considerados agregados.

Plano Odontológico

O banco apresentou aos trabalhadores as linhas gerais de uma proposta com novos valores e ficou de passar à Contraf-CUT uma tabela com os valores completos nesta quinta-feira.

Comitê de acompanhamento

A proposta prevê ainda a criação de um comitê de acompanhamento da assistência médica, com participação de trabalhadores e empresa. O comitê terá reuniões trimestrais, com data definida para começar em março de 2010.

Assembleias

O banco encaminhará à Contraf-CUT a proposta final do Acordo para análise do departamento jurídico. Depois disso, os sindicatos deverão marcar datas para realização de assembleias para que os trabalhadores possam decidir pela aprovação ou não da proposta. 


Fonte: Contraf-CUT – 18/11/2009