Webmail

Comissão de Empresa do BB define premissas para negociar PCCS
19/11/2009

A Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) da Contraf-CUT discutiu, em reunião realizada nesta terça e quarta-feira, dias 17 e 18, no Sindicato dos Bancários de Brasília, critérios e princípios para a implantação do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS), além dos outros assuntos importantes como a terceirização, mesas temáticas e questões de negociação permanente. 

O próximo passo é apresentar as premissas de negociação do PCCS para a categoria em todo o Brasil. Depois dos ajustes, os tópicos serão discutidos nas negociações com o banco. 

Os empregados querem que o BB garanta a valorização do funcionário e dê possibilidades de crescimento ao longo da vida profissional. "O texto acerca do PCCS que formulamos na reunião e que ainda deverá ser ajustado será debatido com os bancários de todo o Brasil e discutido durante a plenária ainda neste ano com os dirigentes dos sindicatos", reforça Marcel Barros, secretário-geral da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa. 

"Antes de discutir os números e valores, temos que definir todas as premissas, devemos definir todos os tópicos sem deixar furo, com princípios permanentes para que o plano de carreira ocorra efetivamente", completa Eduardo Araújo, diretor do Sindicato. 

Critérios para PCCS

O banco se comprometeu na campanha salarial deste ano a implementar um plano até 30 de junho de 2010. Os principais critérios que precisam compor o PCCS devem contemplar:
- Valorização no PCS da antiguidade e do mérito considerando a incorporação das comissões.
- Adoção da jornada de 6 horas para todos os funcionários.
- Adoção de normas definidas para analisar, avaliar e classificar os cargos comissionados.
- Metodologia mais transparente para encarreiramento e garatia de seu cumprimento.
- Promoção da progressão horizontal e vertical. 

Saúde e previdência

Nas mesas temáticas de saúde e previdência serão discutidos os seguintes temas com os representantes do banco. 
Saúde
- Sesmt
- licença saúde
- remuneração na licença saúde
- perícia do INSS
- comitê de ética
- assédio moral 

Previdência
- voto de minerva
- benefício do risco do plano 2 e resgate da parte patronal 

Terceirização

Os critérios de contratação de funcionários não concursados no banco foram discutidos na reunião da CEBB. A Comissão exigirá do banco que só sejam admitidos terceirizados nos cargos de apoio, nas seguintes funções: vigilância, asseio, conservação, telefonia e assessoria. 

"A questão da mão-de-obra dos contratados para estágio que acabam fazendo outras funções deve ser discutida também", ressalta Eduardo Araújo. 


Fonte: Seeb Brasília – 18/11/2009