Webmail

Eduardo Galeano: Um tema para arqueólogos
20/08/2009

Em artigo publicado em 2001 e incluído no livro O Teatro do Bem e do Mal, o escritor e jornalista uruguaio, Eduardo Galeano, sobre a caça aos direitos dos trabalhadores empreendida pelo grande capital com o objetivo de baratear cada vez mais os custos da mão-de-obra.

No artigo, Galeano afirma, entre outras coisas:

"A cada semana, mais de noventa milhões de clientes acorrem às lojas Wal-Mart. Aos seus mais de novecentos mil empregados é vedado filiar-se a qualquer sindicato. Quando um deles tem essa idéia, passa a ser um desempregado a mais. A vitoriosa empresa, sem nenhum disfarce, nega um dos direitos humanos proclamados pelas Nações Unidas: a liberdade de associação. O fundador da Wal-Mart, Sam Walton, recebeu em 1992 a Medalha da Liberdade, uma das mais altas condecorações dos Estados Unidos."

"Um de cada quatro adultos norteamericanos e nove de cada dez crianças comem no McDonald´s a comida plástica que os engorda. Os empregados do McDonald´s são tão descartáveis quanto a comida que servem: são moídos pela mesma máquina. Também eles não têm o direito de se sindicalizar."

"A tecnologia, que aboliu as distâncias, permite agora que um operário da Nike na Indonésia tenha de trabalhar cem mil anos para ganhar o que ganha, em um ano, um executivo da Nike nos EUA, e que um operário da IBM nas Filipinas fabrique computadores que ele não pode comprar."

"O poder econômico está mais monopolizado do que nunca, mas os países e as pessoas competem no que podem: vamos ver quem oferece mais em troca de menos, vamos ver quem trabalha o dobro em troca da metade. À beira do caminho vão ficando os restos das conquistas arrancadas por dois séculos de lutas operárias no mundo."

 

 

Para ler a íntegra desse interessante artigo de Eduardo Galeano, acessehttp://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16116

 

Secretaria de Imprensa e Divulgação