Webmail

Comando entrega pauta de reivindicações ao Banco do Brasil
19/08/2009

O Comando Nacional dos Bancários entregou ao presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, a pauta específica de reivindicações dos funcionários da empresa. A reunião aconteceu nesta segunda-feira, 17, em Brasília. A minuta dos bancários da Caixa também foi entregue ao banco hoje (veja mais aqui).

Os trabalhadores propuseram ainda os termos de um pré-acordo para garantir a manutenção das cláusulas do aditivo atual que vencerão no dia 1º de setembro. Uma rodada de negociação foi marcada para o dia 24 de agosto. Os temas a serem discutidos ainda não foram definidos.

Marcel Barros, secretário-geral da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa dos funcionários do BB (CEBB, órgão que assessora o Comando nas negociações com o banco), lembrou os expressivos resultados do banco nesse semestre, fruto do trabalho dos bancários. "Num momento como esse, o banco precisa estar atento para as necessidades de seus funcionários para que possamos avançar nessa campanha com a conquista de um novo Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS), valorização do piso, fim da lateralidade e do assédio moral", afirma. O BB anunciou lucro líquido de R$ 4,01 bilhões, maior da história entre todos os bancos num primeiro semestre.

Acompanhado do vice-presidente de Gestão de Pessoas, Robson Rocha, Bendine afirmou o interesse do banco em fazer um processo de negociação transparente para chegar a um acordo com os trabalhadores sem grandes traumas.

O presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários, Carlos Cordeiro, falou da importância de se discutir o papel dos bancos públicos. "Precisamos realizar um seminário sobre o tema, especialmente agora que essas instituições demonstraram sua importância em momentos de crise", afirma.

Minuta geral

Nesta terça, dia 18, em São Paulo, acontece a primeira rodada de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban sobre a pauta geral de reivindicações de toda a categoria.

Os bancários reivindicam reajuste de 10% (reposição da inflação mais aumento real), PLR de três salários mais R$ 3.850, valorização dos pisos salariais, cesta-alimentação de R$ 465, fim das metas abusivas e do assédio moral, segurança contra assaltos e sequestros, dentre outras demandas. 

Fonte: Contraf-CUT - 17/08/2009