Webmail

Diretoria quer retaliar grevistas descontando parte dos dias parados
05/11/2008

Na quinta-feira, 30/10, juntamente com as diretorias de outros bancos, a da Caixa Econômica Federal assinava a Convenção Coletiva da categoria bancária. 

Pois, parece que os representantes da CEF não se deram conta do que haviam assinado. Isto porque, já no dia seguinte, a empresa lançava uma circular interna, a CI Suape/Surse 107/08, informando sobre o desconto dos dias parados na greve. A CI estabelece que o saldo de horas que sobrar após o prazo de 15 de dezembro, será descontado dos salários no mês de janeiro.

É bom lembrar o contido na cláusula 46 da CCT, sobre os dias não trabalhados durante a greve, que, repetimos, foi assinada também pela CEF: “Os dias não trabalhados de 30.09.2008 a 22.10.2008, por motivo de paralisação, não serão descontados, e serão compensados, a critério de cada banco, com a prestação de jornada suplementar de trabalho no período compreendido entre a data da assinatura desta Convenção Coletiva de Trabalho até 15.12.2008...”.

Os funcionários da CEF não devem assinar o cronograma de compensação, conforme orienta a Federação dos Bancários do Rio Grande do Sul na matéria abaixo.

 

Empresa quer descontar na folha de janeiro os dias de greve não compensados até 15 de dezembro

Quando praticamente todas as pendências da Campanha Salarial dos Bancários 2008 pareciam resolvidas, a direção da Caixa gerou uma nova polêmica. O banco emitiu nesta segunda-feira, 03, a CI Suape/Geret 107/08, pela qual afirma, no item 6, que os bancários que não efetuarem a compensação integral dos dias parados da greve deste ano, até o dia 15 de dezembro terão o saldo remanescente descontado na folha de pagamento de janeiro de 2009.

 

De acordo com a CCT 2008/2009 dos bancários, os dias parados na greve poderão ser compensados até o dia 15 de dezembro. Os dias não compensados até esta data devem ser abonados. Portanto, os trabalhadores não devem assinar qualquer documento repassado pela Caixa, determinando um cronograma de compensação das horas da greve. A Comissão Executiva dos Empregados fará contato coma direção da Caixa para exigir uma reunião de negociação específica sobre este assunto. O movimento sindical também já está elaborando medidas jurídicas para anular a CI 107/08.

 

“O banco está desrespeitando o que foi acordado no processo de negociação na mesa da Campanha Nacional dos Bancários. Além disso, a Caixa atenta contra um direito legítimo dos empregados, que é a greve em defesa de melhores condições de trabalho e uma remuneração mais justa”, observa o diretor da Feeb/RS e membro do Comando Nacional, Arnoni Hanke.

 

Fonte: Feeb/RS - 04/11/2008