Webmail

Banco do Brasil apresenta propostas para as reivindicações específicas
23/10/2008

Em reunião realizada em São Paulo após a rodada de negociação com a Fenaban, o Banco do Brasil apresentou no início da madrugada desta quarta-feira propostas para as questões específicas. O índice de 10% será aplicado no VP do E1 e mantido o interstício de 3% no PCS, o que estenderá o mesmo percentual a todos os níveis.


Os 10% também serão aplicados a todos os VRs (Valor de Referência) e NFRs (Nível de Função e Representação) cujos valores forem inferiores a R$ 2.500. Para os VRs e NFRs com valores superiores a R$ 2.500, o índice de reajuste será de 8,15%.


O Comando Nacional dos Bancários reúne-se nesta quarta-feira às 11h para avaliar as propostas e dar orientação para as assembléias.


PLR

Conforme já divulgado anteriormente, o BB manterá o modelo utilizado nos semestres anteriores. Apesar de o pagamento continuar sendo semestral, o acordo a ser assinado terá validade de um ano.


Módulo fixo - O modelo prevê pagamento de 4% do lucro líquido, distribuídos de forma linear, o que garante o valor de R$ 1.916,54, além do valor fixo de R$ 483,00 (a metade do valor fixo da Fenaban).


Ainda no módulo fixo, será garantido o valor de 45% do VP do E6 para os escriturários, o que significa R$ 614,93. Para os caixas executivos, 45% do VP do E6 mais comissão de caixa, totalizando R$ 886,61. Para os demais cargos, 45% do VR.


Módulo bônus - Para os demais cargos comissionados, será pago um valor a título de bônus conforme a função, de forma que o montante totalize os percentuais divulgados pelo banco, que variam de 1,70 até 3,0 VRs. Esse complemento está condicionado ao cumprimento do ATB no semestre, havendo pagamento de valores proporcionais em tabela a ser divulgada para aqueles que não cumpriram integralmente o ATB.


Alguns exemplos de PLR

 

Cargo 45% 4% LL Fixo Fenaban Total
Escriturário 614,93 1.916,54 483,00 3.014,47
Caixa 886,61 1.916,54 483,00 3.286,15
Asneg 1.074,47 1.916,54 483,00 3.474,01(*)
Ger. Seg. II 3.388,10 1.916,54 483,00 5.787,55(*)


(*) Valor sem bônus


Plano Odontológico


O BB concordou em implantar o Plano Odontológico da Cassi até 30 de junho de 2009, sem ônus para os funcionários. O custo da implantação será arcado pelo banco.


Para os procedimentos que não forem cobertos pelo plano da Cassi, continuará existindo o financiamento pelo PAS.


Isonomia

PAS - Auxílios e adiantamentos. Pela proposta do BB, os funcionários terão direito a todos os benefícios previstos, garantindo a isonomia entre antigos e novos.


Ausências legais - Também nesse item todos os funcionários passam a ter direitos iguais, acabando com as discriminações entre pós e pré-98.


Mesas temáticas - O BB concorda com a instalação de mesas temáticas para tratar de assuntos definidos em comum acordo entre as partes, dentre os quais terceirização, assédio moral, PCCS (lateralidade, remuneração etc.). Nos próximos 15 dias, será instalada a mesa que tratará dos assuntos referentes à incorporação do Besc.


Bônus 200 anos - O banco distribuirá o valor de R$ 120 milhões, divididos de forma linear entre os funcionários, o que dará em torno de R$ 1.300.


Besc - O BB concorda em incluir os trabalhadores do Besc no Bônus 200 anos, para compensar a parcela da PLR referente aos meses de janeiro a setembro de 2008. Esses bancários terão direito à parcela proporcional ao período de 1º de outubro a 31 de dezembro, no valor que vier a ser definido para o segundo semestre.


Salário de ingresso no BESC - Questionado sobre esse ponto, o banco diz ter disposição de antecipar o período de opção para até 5 de janeiro de 2009, não garantindo o pagamento a partir de 1º de outubro.


Fonte: Contraf/CUT - 22/10/2008