Webmail

Negociação avança pouco e Caixa aguarda Fenaban
18/10/2008

A nova rodada de negociação entre a Caixa e o Comando Nacional dos Bancários trouxe poucas novidades para os trabalhadores. A nova conquista foi o compromisso da empresa em realizar uma reestruturação no Plano de Cargos e Salários da carreira profissional.

A Caixa reafirmou os avanços apresentados em encontros anteriores, como o estabelecimento de um cronograma para a implantação do Plano de Cargos e Carreira (PCC) e conquistas para aposentados. Além disso, confirmou que irá cumprir integralmente o acordado na mesa da Fenaban em relação às reivindicações econômicas.

 

A CEE Caixa fez novo protesto contra a Circular Interna CI SUAPE/SURSE 093/2008 emitida pelo banco, que orienta os gestores a registrar falta não justificada para os trabalhadores que estão participando de greve a partir do dia 1º. "Trata-se de uma medida autoritária e que não respeita o direito de greve dos trabalhadores", afirma Jair.


Veja as novidades apresentadas pelo banco nessa reunião:


Carreira Profissional

O banco assumiu o compromisso de desenvolver e implementar um projeto de aperfeiçoamento do PCS da carreira profissional. A proposta será desenvolvida até dezembro deste ano e o plano implementado a partir do primeiro trimestre de 2009.


Contratações
Conforme já foi divulgado pela Contraf/CUT (veja mais aqui), a Caixa anunciou que obteve autorização junto aos órgãos controladores do governo para a contratação de 3100 novos empregados. Com isso, o atual número de trabalhadores atingirá 81.624. Além disso, os representantes do banco anunciaram que a Caixa definiu uma nova política para as novas contratações, sendo que todos os novos funcionários serão lotados nas agências e postos de atendimento bancário.


PCS
Os trabalhadores cobraram do banco o prosseguimento da negociação para a definição dos critérios objetivo para a promoção por merecimento. Rodada de negociação específica sobre o tema trouxe avanços nos critérios subjetivos. No entanto, não houve acordo entre as partes sobre os critérios objetivos. A questão foi remetida para a próxima negociação.


Há também a contra proposta dos empregados sobre os percentuais de aplicação da quantidade de deltas. Enquanto a Caixa propõe que 20% dos empregados de cada unidade fique com zero, 50% com um e 30% com dois, os representantes dos empregados reivindicam que apenas 10% possa não receber nenhum delta, sendo 60% com um e 20% com dois. Além disso os empregados propõem que caso um empregado tenha ficado com zero delta na unidade, mas esteja no máximo até 20% abaixo da média nacional receba um delta. A Caixa ficou de avaliar ambas as reivindicações. 
Nos demais pontos, o banco manteve a posição apresentada na negociação realizada no dia 3. Veja um resumo dos principais avanços alcançados até agora:


Plano de Cargos Comissionados (PCC)

Ficou acertado um cronograma para a negociação e implantação do PCC. A CEE Caixa, seguindo decisão do 24º Conecef, realizado em julho deste ano, criará uma comissão para debater a proposta dos trabalhadores para o PCC e acompanhar os debates internos do banco a respeito do tema. Essa proposta será levada a discussão no 25º Conecef, a ser realizado em abril de 2009, que definirá a proposta oficial dos empregados.

A partir de então, começa o processo de negociação com a Caixa, que se estenderá até o dia 30 de junho de 2009, quando o banco apresentará seu projeto para carreira e remuneração de cargos. O limite para a implementação foi marcado para dezembro de 2009.

O foco definido para as propostas será a discussão e solução de problemas ligados ao CTVA, aos pisos de mercado e aos temas listados em nossa pauta de reivindicações, como equiparação, mudança de nível, PSI, encarreiramento etc.


Aposentados
Diversos avanços foram conquistados. Veja a lista:

- A Caixa concordou em pagar a 13ª cesta alimentação para todos os aposentados que recebiam a cesta por via judicial.

- Autorização do banco para o pagamento imediato para os pensionistas do vale-refeição. Hoje, quando um empregado aposentado do banco vem a falecer, os pensionistas enfrentam problemas para conseguir o ticket, precisando buscar a via judicial.

- O banco autorizou que os participantes do PMPP possam ir para a Funcef sem a necessidade de desistência de ações de auxílio alimentação na Justiça. Além disso, o período para adesão foi prorrogado até novembro deste ano.


- A Caixa também vai reabrir o prazo para que os aposentados que não fizeram acordo relativo ao ticket-refeição em 2005 possam fazê-lo agora. No caso dos trabalhadores que entraram com ação e perderam na Justiça, o banco considera difícil oferecer a adesão ao acordo. No entanto, afirmou que fará estudos a respeito dessa possibilidade.

- O banco vai realizar o estudo da viabilidade de pagamento do ticket para quem entrou na Caixa até 1995 e se aposentou depois disso.


Fonte: Contraf/CUT  -  17/10/2008