Webmail

Banco rejeitou a discussão sobre o PCCS e o pagamento por substituição de função
24/09/2008

Na primeira rodada de negociações das reivindicações específicas do funcionalismo do Banco do Brasil, realizada nesta terça-feira 23 em São Paulo, o Comando Nacional e a direção da empresa começaram a discutir a renovação das cláusulas do acordo do ano passado. Os representantes dos funcionários querem melhorar algumas cláusulas, inclusive as que envolvem isonomia entre novos e antigos, como ausências legais e PAS.

O Comando Nacional, assessorado pela Comissão de Empresa dos Funcionários, da Contraf/CUT, voltou a insistir na abertura de negociação sobre o PCCS, inclusive o pagamento por substituição de função, mas o banco reiterou que esse assunto não está em discussão.

Os dirigentes sindicais reivindicaram também a correção do piso salarial no BB. Os negociadores do banco disseram que para discutir assuntos econômicos preferem aguardar o posicionamento da Fenaban, onde estão sendo discutidas as questões relativas a salário. A Fenaban se comprometeu a fazer uma proposta dos temas econômicos na rodada de negociação que será realizada nesta quarta-feira.

"Apesar de o BB aceitar discutir a melhoria de algumas cláusulas do acordo específico, o que é um fato positivo, temos clareza de que as negociações só avançarão se houver pressão e mobilização dos funcionários, o que já começou a acontecer em todo o país", afirma Marcel Barros, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários.

As negociações prosseguem nesta quarta-feira 24 com a continuação da discussão desses temas e das cláusulas referentes à saúde, inclusive o Plano Odontológico da Cassi e a VCP/LER.

Fonte: Contraf/CUT  -  23/09/2008