Webmail

Bancários atrasam abertura de agência do Bradesco em POA
16/07/2008

Os bancários do Bradesco promoveram nesta terça-feira, dia 15, uma nova atividade do Dia de Lutas para cobrar auxílio-educação, Plano de Cargos e Salários (PCS), melhorias no plano de saúde, contratações para diminuir a sobrecarga de trabalho e mais segurança. A manifestação, em nível nacional, integrou a Campanha Nacional de Valorização dos Funcionários, e interrompeu o início dos serviços da agência General Câmara.

A atividade reafirmou as denúncias ao banco, que tem um dos maiores lucros do Brasil, mas continua desrespeitando seus trabalhadores ao não atender suas demandas. Os bancários entregaram à população uma carta aberta, com as pressões no ambiente de trabalho e a exploração aos clientes, como cobrança de juros e tarifas abusivas, filas e atendimento precário e a exclusão de clientes de baixa renda.

“O Coletivo Estadual dos Funcionários está mobilizado neste dia para exigir do Bradesco o auxílio-educação. Ao mesmo tempo em que o banco não concede esse benefício, exige qualificação e realiza pesquisa de avaliação do nível de conhecimento de seus funcionários”, denunciou o diretor e funcionário do banco, Nilton Correa Gomes.

O diretor Financeiro, Devanir Camargo da Silva, afirmou que o Banco Completo tem respeito de menos, tanto para os funcionários como para seus clientes. “Quanto maior o lucro, mais alta é a exploração de seus funcionários, que não PCS (Plano de Cargos e Salários), além de pressionar pelo cumprimento de metas abusivas. Os clientes sofrem com atendiemnto precários, filas e altas taxas de juros e tarifas”, relacionou.

Já o presidente do SindBancários, Juberlei Baes Bacelo, lembrou que a atividade na agência General Câmara, no Centro da capital, integrava o dia de lutas cobrando para que o Bradesco atende às reivindicações de seus funcionários. “O sistema exige qualificação, mas não cria condições adequadas para se conquistar essa qualificação. Para um banco que tem um dos maiores lucros, é uma vergonha negar o auxílio-educação”, afirmou.

Bacelo acrescentou que neste momento em que se começa a campanha salarial da categoria, a unidade dos bancários e da sociedade é um recado ao Bradesco, para que ele acabe com o tratamento arrogante e intransigente. “Auxílio educação, atendimento qualificado e condições de trabalho satisfatórias já!”

O SindBancários e o Coletivo Estadual dos Funcionários do Bradesco seguirão realizando atos pela Campanha de Valorização dos Funcionários, pressionando o banco para retomar as negociações e tratar seus funcionários e clientes com respeito e dignidade.

Fonte: FEEB-RS  -  15/07/2008