Webmail

PCS: proposta aprovada na Plenária Nacional não tem o aval dos gaúchos
21/05/2008

A proposta de Plano de Carreira aprovada na Plenária Nacional da Caixa, no dia 16, em Brasília, não tem o aval dos gaúchos. O GT PCS Caixa, integrado por representantes do SindBancários, Feeb-RS, Apcef-RS e Conselho de Delegados Sindicais da Caixa, discorda do que foi aprovado, e entende que a Plenária praticamente repete o que foi apresentado pela empresa, que tem problemas e está longe de ser o que os empregados defendem.

A indicação do SindBancários para a assembléia que ocorre no dia 29 de maio, em data e horário que serão divulgados em breve, é pela rejeição da contraproposta aprovada no Distrito Federal.

O Rio Grande do Sul teve direito a sete representantes. A delegação gaúcha estava composta por três dirigentes sindicais, um da Apcef-RS e três delegados sindicais que debatem o tema desde outubro passado, quando no Estado foi constituído o GT PCS, que conta, inclusive, com assessoria técnica de profissionais da UFRGS.

A Plenária, cujo objetivo maior deveria ser aprofundar o debate e mobilizar a categoria, acabou aprovando uma contraproposta para ser entregue à direção da Caixa. O problema é que o conteúdo aprovado é praticamente igual ao apresentado pela empresa (veja quadro em anexo na geleria de documentos).

“Sabemos que, em um processo negocial, não é aconselhável se partir do mínimo aceitável, ou da lógica já existente”, alerta o diretor do SindBancários e integrante do GT, Marcos Todt. Para ele, é preciso trabalhar com objetivos estratégicos e buscar atingí-los gradativamente.  “Dentro desse pressuposto, é um equívoco, a título de exemplo, abrir mão, desde já, de reivindicarmos o piso do DIEESE para os bancários”, completa Todt.

Fonte: Seeb POA com edição do Seeb Passo Fundo