Webmail

Comando Nacional aprova plenária dos empregados da Caixa para debater PCS
18/04/2008

Na reunião que realizou ontem em São Paulo (SP), com a participação de dirigentes sindicais bancários de todo o país, o Comando Nacional dos Bancários aprovou a realização de uma plenária nacional dos empregados da Caixa Econômica Federal, para debater especificamente a proposta de unificação das tabelas do Plano de Cargos e Salários (PCS), apresentada pela empresa na semana passada.

Essa plenária foi confirmada para o próximo dia 16 de maio. Objetivo é formatar proposta de PCS que corrija distorções do atual modelo Nesta plenária, os empregados da Caixa vão formatar uma proposta para o PCS que tenha por base o que já foi acordado durante a campanha salarial de 2007. Também está prevista a discussão sobre as atividades de mobilizações que serão realizadas no decorrer das negociações entre a Contraf/CUT – CEE/Caixa e a Comissão de Negociação da Caixa.

A Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) avalia que essa plenária será muito importante para a organização e mobilização dos empregados, tendo em vista a necessidade de que seja reivindicada da Caixa e do Departamento de Coordenação e Controle das Empresas Estatais (Dest) uma proposta de PCS que contemple todos os trabalhadores da empresa.

O compromisso da Caixa é o de apresentar uma proposta completa de PCS até o final de abril. Mas as mudanças que deverão ser contempladas pelo novo Plano de Cargos e Salários vão depender, com certeza, da mobilização do conjunto dos empregados.

2008: unidade da campanha salarial

Os princípios que vão nortear a campanha salarial deste ano da categoria bancária foram discutidos na plenária do Comando Nacional dos Bancários, que reuniu representantes de todas as centrais sindicais que compõem o movimento sindical dos trabalhadores do ramo financeiro. Uma das principais deliberações foi a seguinte: construir uma grande campanha salarial unificada, reunindo todas as forças políticas e um Comando Nacional ampliado.

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT), Vagner Freitas, esclarece que a meta é reunir todas as correntes políticas do movimento sindical bancário, sempre respeitando as diferenças e os matizes ideológicos, em uma mesa de negociação unificada, como parte de uma visão classista: de um lado, os trabalhadores, de outro, os patrões (banqueiros).

Nova reunião do Comando Nacional dos Bancários, a ser realizada em até 15 dias, a partir das discussões feitas nas entidades sindicais, vai detalhar a forma de organização e os critérios de representação para essa mesa de negociação unificada.

Fonte: Fenae - 16/04/2008