Webmail

A propaganda nos Estados Unidos contra o presidente da Venezuela
06/02/2008

 

Em matéria publicada em seu site no dia 22 de janeiro, o jornalista Luiz Carlos Azenha opina sobre a incisiva propaganda feita contra o presidente venezuelano, Hugo Chávez, nos Estados Unidos. Azenha afirma:

“Chávez é visto como “tirano” por republicanos. Um dos mais importantes líderes da direita religiosa americana, Pat Robertson, pediu na TV o assassinato de Chávez. De onde vem o ódio?  No discurso, do fato de que Chávez é aliado de Fidel Castro e, portanto, inimigo dos interesses americanos na América Latina.  Mas o caso é muito mais complexo. Chávez assumiu o poder em 1999, freou a privatização da gigante de petróleo estatal PDVSA, assumiu controle da empresa e, como membro-fundador da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), ajudou a empurrar para cima os preços do barril.”        

“A Venezuela tem as maiores reservas de petróleo da região. São reservas próximas do mercado americano. São reservas que ganham importância a cada dia, com o aumento de consumo na Índia e na China e com a dificuldade de encontrar novos poços de petróleo. Chávez está sentado sobre uma fortuna trilhardária e não quer entregá-la aos Estados Unidos NAS CONDIÇÕES IMPOSTAS POR WASHINGTON.”

País seria refém de Hugo Chávez

Seguindo com sua opinião, Azenha ainda questiona: “Ou a propaganda anti-Chávez é resultado apenas da rejeição automática a alguém que discorda da globalização como ela está se dando hoje em dia?”

Na mesma matéria, Azenha traz uma charge publicada no jornal Miami Herald e reproduzida no Washington Post. Na charge, que reproduzimos abaixo, aparece Chávez entrando em uma masmorra e afirmando: “Estou novamente a caminho de uma missão para libertar reféns”. Dentro da cela, acorrentado, um sujeito vestido com uma camiseta onde está escrito Venezuela. Ou seja, assim como os reféns das Farc colombianas, o chargista coloca a Venezuela também como uma refém, acorrentada, de...Chávez.

Você pode ler a íntegra da matéria do Azenha clicando aqui www.viomundo.com.br/opiniao/propaganda-contra-chavez-e-so-coincidencia/.

 A Refém (?)

Comentando a charge publicada nos Estados Unidos, o jornalista Luiz Carlos Azenha ironiza:

“Um ‘refém’ que elegeu Chávez e reelegeu Chávez por ampla maioria em 2006. Um ‘refém’ que derrotou a proposta de reforma constitucional do governo de Chávez.”