Webmail

Bancários paralisam e protestam em São Paulo contra revistas no Itaú
07/04/2015

Trabalhadores criticam revistas na entrada e na saída 

As atividades do Centro Administrativo Vila Mariana do Itaú foram paralisadas na última quinta 2, assim como da agência que fica no mesmo prédio, em protesto contra o desrespeito e a humilhação que funcionários estão enfrentando em revistas praticadas em unidades de São Paulo e do Rio de Janeiro.

O local foi alvo da manifestação por conta da presença de superintendentes de agências neste prédio. A abertura foi programada para meio-dia.

O projeto chamado Saída Segura consiste em revistas dos trabalhadores e em seus pertences durante entradas e saídas do local de trabalho. "É a demonstração, mais uma vez, do maior interesse do banco: seu patrimônio. O Itaú esquece do papel fundamental do bancário, essencial na construção do alto lucro que o banco alcança todo ano", ressalta a diretora do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Valeska Pincovai.

Para o diretor do Sindicato, Sérgio Lopes, o Serginho, "é inadmissível que a direção do Itaú não tome providências para alterar o projeto Saída Segura". Ele destaca que o banco se comprometeu a reorientar gestores, mas que denúncias continuam chegando ao Sindicato. 

"As pessoas que vestem a camisa do Itaú estão sentindo que são tratadas como ladrões, se sentem suspeitos diariamente. Enquanto isso, o banco faz propagandas de que muda o mundo. É como se o mundo do Itaú fosse apenas de bicicletas laranjas e felicidade. A realidade dos bancários é outra", critica.

Valeska cobra a direção do banco. "Vamos pressionar com manifestações e mobilizando os bancários, além de informar os clientes, que também sofrem ao presenciar as revistas e nada podem fazer", conclui.


Fonte: Seeb São Paulo - 06/04/2015