Webmail

Contraf condena impugnação de candidatos ao Caref e pede revisão da pena
27/01/2015

A Contraf-CUT enviou carta à Comissão Eleitoral Eleições Caref 2015 nesta segunda-feira 26 para condenar a impugnação de algumas candidaturas à disputa da representação do funcionalismo ao Conselho de Administração do Banco do Brasil. A Confederação considera a impugnação "injusta, descabida e antidemocrática" e reivindica a anulação das punições impostas aos candidatos. A eleição ocorre em primeiro turno entre 2 e 6 de fevereiro.

Veja aqui em pdf a íntegra da carta da Contraf-CUT.

"É injusta, descabida e antidemocrática a vedação estabelecida por essa Comissão através do Regulamento Eleitoral, por proibir trabalhadores de exercer livremente seus direitos políticos no âmbito da empresa pública onde exercem suas funções", afirma a Contraf-CUT na carta, assinada pelo coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, Wagner Nascimento.

A Confederação argumenta que a impugnação incluída no Regulamento Eleitoral "não consta da Lei 12.353/2010, que tornou obrigatória a representação dos trabalhadores no Conselho de Administração das empresas públicas", e tampouco do Estatuto do Banco do Brasil. 

"Além disso, a impugnação de candidatos que nem tiveram seus inquéritos concluídos pode tolher o direito de representar seus colegas de uma pessoa futuramente inocentada das acusações, causando-lhe grave e irreparável prejuízo", acrescenta a Contraf-CUT na carta. 

"Diante do acima exposto, para que se restabeleça a isonomia de tratamento e a igualdade de direitos a todos os empregados do Banco do Brasil neste processo eleitoral, solicitamos que seja revista a impugnação das candidaturas e aceita a participação de todos os inscritos no pleito", conclui o texto da Confederação.


Fonte: Contraf-CUT - 26/01/2015